Cine Brasília programa filme que aborda precarização do trabalho


Filme emblematiza trajetória de uma família abandonada pelo capitalismo atual, que aposta na precarização do trabalho para reduzir custos de produção | Foto: Cine Brasília / Divulgação

Cine Brasília vai exibir no horário das 20h de quinta a domingo o filme de Ken Loach “Você Não Estava Aqui” (2019). O longa – que no ano passado concorreu a melhor filme em Cannes, perdendo para “Parasita” (Bong Joon-ho) – relata a desumana rotina de uma família que vive em Newcastle, em uma Inglaterra ainda assolada pela crise econômica de 2008 (veja trailers abaixo).

Ricky (Kris Hitchen), Abbie (Debbie Honeyw) e dois filhos enfrentam dificuldades financeiras. Enquanto ela trabalha como cuidadora de idosos, Ricky só consegue trabalhos mal remunerados. O casal vê uma oportunidade de melhorar de vida trocando o carro da família por uma van, para que o marido possa fazer entregas como terceirizado.

O roteiro é assinado por Paul Laverty, parceiro de Loach em “Eu, Daniel Blake” (2016, Palma de Ouro). “Você Não Estava Aqui” emblematiza a trajetória de uma família abandonada pelo capitalismo em sua fase atual, que aposta na precarização do trabalho para reduzir os custos de produção.

“Este sistema é sustentável? É sustentável recebermos nossas compras através de um homem que dirige uma van 14 horas por dia? Esse é um sistema melhor do que ir diretamente às lojas e conversar com o lojista? Realmente queremos um mundo em que as pessoas trabalhem sob tanta pressão, com efeitos colaterais em seus amigos e familiares? Não se trata de uma falha do sistema, mas do desenvolvimento lógico para maximizar lucros”, dispara o diretor.

O longa, que tem causado grande impacto por onde é exibido, conta a história de profissionais autônomos, submetidos a métodos de trabalho desumanos e ilusórios – fenômeno que tem sido chamado de “uberização”, referência ao aplicativo que transforma pessoas em dificuldade financeira em motoristas de táxi trabalhando longas horas pela subsistência.

Em “Você Não Estava Aqui”, Ken Loach não pretende apenas abordar a exploração do trabalhador, mas também as consequências desse esquema na vida das pessoas e de suas famílias. O filme, além de ter provocado comoção pública em Cannes, levou o Prêmio do Público de Melhor Filme Europeu no festival de San Sebastián (2019).

Para o Cine-debate, a professora de cinema da Universidade de Brasília (UnB) Mariana Souto, pós-doutora pela ECA-USP, pretende abordar como o cinema conta histórias que traduzem criticamente o espírito de uma época, fazendo as pessoas pensarem, rompendo o torpor causado por um jornalismo que em sua maior parte apenas espetaculariza os acontecimentos.

“Ken Loach geralmente faz filmes bem realistas, dramáticos mesmo, focados em personagens que representam homens e mulheres comuns”, diz Mariana. “Você não estava aqui” – para a docente que ensina documentário e teorias de estéticas do cinema e do audiovisual neste semestre – mexe com o público ao mostrar o lado humano da precarização do trabalho no mundo contemporâneo.

Continuam em cartaz “Tarde para morrer jovem”, terceiro longa-metragem da diretora chilena Dominga Sotomayor, e o novo trabalho de Lauro Escorel, “Fotografação”, que fez sua estreia no 24º “Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade 2019”.

Veja as fichas técnicas, sinopses e trailers de cada filme:

“Você Não Estava Aqui” (Sorry We Missed You)
De Ken Loach (2019, Grã-Bretanha, drama, 101 minutos, 14 anos)

Sinopse: Ricky (Kris Hitchen) e a sua família lutam arduamente contra as dívidas desde o colapso financeiro de 2008. A certa altura, Ricky tem uma oportunidade de recuperar alguma independência com uma furgoneta novinha em folha e a possibilidade de ter o seu franchise como motorista de entregas por conta própria. É um trabalho duro, mas o emprego da mulher como cuidadora não é mais fácil. A família é forte, mas quando ambos são empurrados em sentidos diferentes, o ponto de ruptura torna-se iminente.

Trailer:


“Tarde Para Morrer Jovem” (Tarde Para Morir Joven, no original)
De Dominga Sotomayor (2019, Chile, drama, 110 min, 16 anos)

Sinopse: No filme, a democracia volta ao Chile no verão de 1990. Um grupo de famílias que vive em uma comunidade isolada aos pés dos Andes busca construir um novo mundo distante dos excessos urbanos, enquanto acompanha o amadurecimento das crianças e adolescentes, lidando com seus primeiros medos e amores num novo momento do país.

Trailer:


“Fotografação”
De Lauro Escorel (2019, Brasil, documentário, 76 minutos, livre)

Sinopse: Passeando pela história da fotografia brasileira, os impactos dos avanços tecnológicos são analisados por meio das perspectivas daqueles que vivem os prazeres e obstáculos da profissão. Em uma sociedade cada vez mais conectada, em que as informações surgem por uma demanda quantitativa, a digitalização do ofício do fotógrafo torna-se praticamente uma ameaça.

Trailer:

Programação do Cine Brasília de 12 a 15 de março:

16h – “Fotografação”
18h – “Tarde para morrer jovem”
20h – “Você não estava aqui”

No dia 13, sexta-feira, não haverá a sessão das 18h em razão da promoção de Cine-debate. “Você não estava aqui” será exibido às 19hs. Na sequência, haverá um debate, com a participação da professora de Cinema da UnB Mariana Souto, que vai discutir a narrativa visual de Ken Loach, que suscita questões sobre a precarização do trabalho.

Serviço:

Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria não aceita cartões, aoenas dinheiro.
Endereço: Asa Sul, Entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

* Com informações da Secretaria de Cultura

Fonte: Agência Brasília


6 de maio de 2020

0 respostas em "Cine Brasília programa filme que aborda precarização do trabalho"

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho © 2019. Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Nunes Dev.
Abrir chat
Precisa de ajuda?